Japão tem plano de desenvolvimento focado em Inovação

De acordo com diagnóstico do próprio governo, a economia japonesa tem estado estagnada nos últimos 20 anos, desde o colapso da bolha especulativa no início da década de 90. Para enfrentar e superar essa questão, o Japão vem trabalhando em grande estratégia nacional centrada em inovação,  visando o desenvolvimento econômico e social.

O plano, que teve início em 2010 e vem sendo aperfeiçoado desde então, identificou grandes áreas para o desenvolvimento do país, associada a inovação,  como “inovação verde”, “inovação de vida”” e “turismo e regiões”, associadas a estratégias de desenvolvimento de  “ciência e tecnologia e tecnologia da informação e comunicação” e “emprego e recursos humanos”, essenciais para apoiar o crescimento.

A “inovação verde” prevê várias medidas de combate ao aquecimento global, tais como o estabelecimento de metas de redução de 25% de emissão de gases de efeito estufa até 2020, e o desenvolvimento de novas tecnologias e a criação de novos negócios no setor de transporte e em setores relacionados ao estilo de vida, ao setor de energia renovável e no desenvolvimento urbano.

Já a “inovação de vida” busca transformar o Japão numa “superpotência em assistência médica”. Enfrentar esse desafio incorpora o desafio de pensar saídas para a previdência social. A previdência social atraiu a atenção no que diz respeito ao peso financeiro dentro do contexto de declínio da taxa de natalidade e do envelhecimento da sociedade japonesa, e equacionar a questão da previdência social é central para a estratégia de crescimento econômico japonês. A previdência social envolve muitos setores que geram crescimento através da criação de empregos, a melhoria da previdência social pode criar empregos e levar ao crescimento ao mesmo tempo. O modelo japonês de previdência social incorpora a necessidade de reformas para os sistemas de pensões, assistência médica e de enfermagem.

Também a promoção do turismo ganhou importância, quando se verifica que uma das estratégias se volta para explorar a herança cultural do Japão e as belezas naturais, como um papel crítico na revitalização local.

Para apoiar essas áreas de crescimento, o Japão reforçou sua  presença em ciência e tecnologia, área que foi realinhada com a estratégia para transformar o Japão numa superpotência em ciência e tecnologia e tecnologia da informação e comunicação. No bojo desse realinhamento estão pensadas reformas regulatórias e revisões nos mecanismos de apoio de forma a encorajar o desenvolvimento efetivo e eficiente de tecnologia. O ambiente educacional será melhorado para estimular jovens talentosos e inspirados a seguirem uma carreira científica. O ambiente de pesquisa também será melhorado para atrair pesquisadores de todas as partes do mundo. Da mesma forma será estimulada a promoção e utilização de conteúdos digitais e outras propriedades intelectuais, os quais formam a base que impulsiona inovações e tecnologias da informação e comunicação, incluindo crowd computing, buscando melhorar a competitividade da indústria.

O desenvolvimento de “recursos humanos superiores” representados pelos jovens que apoiarão o crescimento sustentável e pessoas com criatividade (know -how), será elemento  impulsionador do crescimento. Está em curso estratégia de melhoria das habilidades individuais em vários campos, incluindo educação, esporte e cultura, para o desenvolvimento de “recursos humanos superiores”, com forte expansão de investimentos públicos em medidas efetivas, de forma que o Japão possa alcançar o maior nível mundial de educação, pesquisa e desenvolvimento.

A inovação é aqui entendida em seu sentido amplo: como produto, processo, organização, gestão, modelo de negócios, logística, marca, e move permanentemente a economia. Exatamente por isso, a inovação, ao enfatizar as mudanças – pequenas e grandes – e se traduzir num diferencial no mercado, está no coração da política de crescimento econômico japonês. A velha ideia de que os investimentos são geradores automáticos de inovação dão lugar ao seu reverso: a busca da inovação atrai os investimentos, com processos que surgem intimamente ligados ao esforço de melhorar a qualidade do investimento. Mesmo as políticas mais fundamentais, voltadas para investimentos em infraestrutura, aumento da capacidade instalada e qualificação da mão-de-obra estão concatenadas e articuladas com políticas de inovação.

Nessas condições, os recursos para a pesquisa e a prospecção científica japonesa tornaram-se mais sofisticados e competitivos, com claro incentivo para as atividades que transformam conhecimento em tecnologia e que possam estimular o crescimento econômico.

Sistema Educacional no Japão

O sistema educacional do Japão tem sistema educacional de excelência, com proposta de educação exemplar e disciplinada – o Japão ficou em ótima posição no ranking do PISA (2º em ciências, 5º em matemática e 8º em leitura), divulgado em 2015 pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Destacam-se a disciplina a responsabilidade e autonomia dos alunos. Possui um sistema educacional gratuito, onde toda criança tem direito de estudar em escolas próximas de onde moram.

P_20170705_112250_HDR_1

Reunião com o Deputado  Federal Mauro Mariani (PMDB – SC) e o Embaixador do Japão no Brasil, Satoru Satoh.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s